Mitos e Verdades sobre Concursos

Mitos e Verdades sobre Concursos Públicos

Saiba o que é verdade e o que mentira quando o assunto é concurso público

Você com certeza já ouviu falar ou leu por aí várias coisas sobre concursos públicos. Algumas são bastante compreensíveis, outras totalmente estranhas. Mas no fim das contas, o que é mito e o que é verdade no meio disso tudo?

Marcar a mesma letra em todas as questões aumenta chance de passar – Mito

Normalmente, há um equilíbrio na distribuição das respostas. Em uma prova com 5 alternativas, por exemplo, espera-se no gabarito final cerca de um quinto (20%) para cada. Portanto, “chutar” a mesma letra não aumenta as chances.

Candidato com nível superior tem mais chance em concurso para nível médio – Meia Verdade

Geralmente, um candidato com nível superior tem maior conhecimento geral e facilidade para estudar em comparação ao que cursou até o ensino médio, porém, se não estudar especificamente para o concurso, terá poucas chances.

‘Pular’ a teoria e estudar só a partir de provas anteriores não é recomendável – Verdade

Resolver provas anteriores é fundamental, mas é necessário também conhecer as teorias das disciplinas. Se utilizar as provas anteriores como orientação, buscando a teoria necessária para entender cada questão, terá um método de estudos bastante eficiente.

Nos concursos municipais é proibida a participação de quem mora fora da cidade – Mito

Um órgão público não pode impor esse tipo de limitação, pois ela fere a Constituição. O que é feito em alguns concursos municipais, que acaba favorecendo os moradores, é incluir disciplinas sobre os aspectos geográficos e econômicos da região.

Aposentado não pode participar de concurso – Meia Verdade

Quem já é aposentado no serviço público não pode acumular novo cargo. Se for aposentado na iniciativa privada, pode. Mas o candidato deve ter até 65 anos para entrar no serviço público, pois, para se aposentar nele, deve cumprir 5 anos na função.

Tatuagem e piercing podem eliminar o candidato – Meia Verdade

De um modo geral, não há impedimento. As exceções estão em alguns cargos da área policial e das Forças Armadas. Nos demais editais, a exigência pode ser questionada junto ao Ministério Público ou na Justiça.

Só são corrigidas provas respondidas com caneta azul – Meia Verdade

Se o edital especificar que a cor da tinta da caneta deve ser azul e o candidato usar a preta, ele não terá a prova corrigida. Mas poderá usar qualquer cor se não houver especificação no regulamento; geralmente há.

Quem passa no concurso é obrigado a saber cantar o Hino Nacional na posse – Mito

Não existe nenhuma norma que obrigue o aprovado a cantar o Hino Nacional no momento da posse, apesar de alguns órgãos públicos o tocarem na ocasião.

Candidata gestante não pode tomar posse do cargo público – Mito

A candidata aprovada em concurso público e nomeada, tem direito a posse, não constituindo impedimento a circunstância de encontrar-se grávida. Pela lei o candidato para tomar posse tem que fazer um conjunto de exames admissionais, gravidez não é uma doença, portanto não caracteriza impedimento para a tomada de posse. Se caso a apresentação para tomada de posse coincidir com período de nascimento da criança, a candidata poderá entrar com recurso na justiça, podendo ou não ter sua posse adiada.

Portadores de necessidades especiais não precisam comprovar laudo médico – Mito

O edital é a norma que rege o concurso. Lá, estão definidas todas as exigências/requisitos necessários ao candidato (concorrente às vagas de deficientes ou não) para prestar as provas. Alguns requisitos são exigidos no ato da inscrição da prova; outros somente após a convocação para posse dos candidatos aprovados. Geralmente, a banca examinadora exige, em seu edital, que o candidato portador de deficiência envie este laudo médico por SEDEX, após o ato da inscrição. Normalmente, a banca possui uma equipe médica (multidisciplinar) que irá avaliar o laudo emitido pelo seu médico. Este laudo pode ser emitido por qualquer médico, desde que conste os aspectos mínimos do edital (espécie da deficiência, nível, código CID e a provável causa).

A carga horária muda após o concurso – Mito

Sua carga horária só pode ser mudada se estiver em documento previsto pela lei, dizendo que você concorda com a alteração feita pelo órgão em que trabalha. De acordo com a Lei nº 8.112/90, que rege sobre o servidor público.

Pode ter concurso público em ano eleitoral – Verdade

Essa é uma dúvida comum entre os concurseiros, mas a regra é a seguinte: os concursos públicos NÃO são proibidos em ano de eleição.

Imprimir