Edital PRF: Bizus

Edital PRF – Análise completa do último edital

Estou escrevendo este artigo para você que pretende se preparar para o próximo certame do Departamento de Polícia Rodoviária Federal (DPRF), que é bastante esperado para 2017. Visando auxiliar a sua preparação, elaborei uma análise completa do último edital PRF para o cargo de Policial Rodoviário Federal, cujas provas foram aplicadas em 2013 pela banca Cespe.

Histórico do Concurso PRF

Veja na figura abaixo o histórico dos últimos concursos para o cargo de Policial Rodoviário Federal:

edital prf

Histórico de aplicação do Concurso PRF

Chamo atenção para dois pontos interessantes. Em primeiro lugar, repare que os certames tiveram uma quantidade significativa de vagas. Com exceção de 2008, todas as outras edições do concurso tiveram mais de 500 vagas, chegando a 1.000 no último certame e a incríveis 2.200 vagas em 2004! Além disso, note que o Cespe foi a banca aplicadora de praticamente todas as provas (vale dizer que esta também foi a banca da prova de 1998, que não se encontra na figura). Portanto, é bem provável que o próximo edital PRF contemple um bom número de vagas e seja novamente da mesma banca.

Assim, fica uma dica: prepare-se com foco na banca Cespe. Trata-se de uma banca com estilo de cobrança bastante peculiar. Ela costuma ser mais exigente que as demais, exigindo conteúdo mais aprofundado em praticamente todas as disciplinas. Além disso, o seu formato de prova (itens certos ou errados, ao invés de múltipla escolha) dificulta bastante o “chute”, e exige que o candidato tenha maior segurança na hora de marcar cada item. Para piorar, provas de “certo ou errado” obrigam que você avalie individualmente cada assertiva, ao contrário de provas de múltipla escolha onde você não precisa necessariamente compreender o conteúdo de todas as alternativas de resposta para gabaritar a questão.

E se a banca do edital PRF mudar novamente?

Aqui vale um breve comentário: se a banca mudar, e você estiver se preparando para o Cespe, dificilmente você estará em desvantagem. Pelo contrário, como o estudo para o Cespe é naturalmente mais aprofundado e abrangente, caso haja alteração da banca é muito provável que você saia na frente dos seus concorrentes, e até comece a achar fáceis as questões da outra banca. Portanto, não perca tempo fazendo exercícios de “futurologia”. Ao invés de ficar tentando prever uma eventual nova banca, dedique-se totalmente ao estudo baseado no Cespe e você certamente se beneficiará disto no futuro, ainda que tenhamos uma novidade na escolha do organizador.

Expectativa para o próximo concurso PRF

O último edital PRF é de 2013, e o resultado final do concurso foi homologado em Maio de 2014. A partir daí começou a correr o prazo de 1 ano de validade, que foi prorrogado por mais 1 ano, sendo válido até Maio de 2016. Todos os aprovados já foram chamados.

Em Agosto de 2016, o órgão criou um grupo de trabalho para elaboração do novo edital PRF.

Quais as etapas do concurso PRF?

Observe na figura abaixo todas as fases do certame, conforme previsto no último edital da Polícia Rodoviária Federal. Note que algumas delas são somente eliminatórias, isto é, podem excluir você do concurso – ou não. Outras fases são apenas classificatórias, sendo responsáveis por definir a ordem de classificação dos candidatos. E temos as fases eliminatórias e classificatórias, que possuem ambos os efeitos.

edital prf

Fases do concurso PRF

Vale dizer que, a rigor, o concurso é composto por duas etapas. A primeira vai desde as provas objetivas e discursiva até a avaliação de títulos, sendo que a segunda etapa propriamente dita é composta apenas pelo curso de formação profissional.

Caso você nunca tenha se preparado para um concurso da área da Segurança Pública, deixo abaixo um breve esclarecimento sobre o que consiste cada fase do concurso da Polícia Rodoviária Federal.

– provas objetivas PRF:

50 itens sobre as disciplinas de Conhecimentos Básicos e 70 itens de Conhecimentos Específicos. As provas objetivas valem 120 pontos, sendo que você precisa obter no mínimo 10 pontos na parte de conhecimentos básicos, 21 na de conhecimentos específicos, e 36 na soma global. Já adianto um ponto: não perca tempo se preocupando demasiadamente com essa pontuação mínima. Para ser aprovado no concurso, você precisa obter uma pontuação significativamente superior a esses mínimos, como falaremos adiante.

Vale lembrar que itens marcados de acordo com o gabarito oficial valem 1 ponto, e itens marcados em desacordo com o gabarito retiram 1 ponto. Aqueles deixados em branco ou anulados (marcação dupla – certo e errado) valem zero.

– prova discursiva PRF:

uma dissertação de até 30 linhas, realizada em conjunto com as provas objetivas. O tempo total é de 4 horas e 30 minutos. Esta dissertação vale 20 pontos, sendo que o mínimo exigido é de 10 pontos. Durante a correção, o examinador irá atribuir uma nota baseada no conteúdo do seu texto e, em seguida, subtrair pontos de acordo com os seus erros de português. Em síntese, a nota da prova discursiva é dada pela seguinte fórmula:

Nota discursiva = Nota de conteúdo – 2 x (número de erros de português) / (total de linhas)

Portanto, é importantíssimo dominar o conteúdo, mas também é essencial dominar o idioma! Vale dizer que a prova discursiva normalmente tem efeitos relevantes sobre a ordem de classificação dos candidatos, isto é, quase sempre vemos candidatos ganhando várias posições e outros perdendo várias posições (até mesmo saindo do limite de vagas) por conta do desempenho nesta fase do certame.

Ah, vale dizer que nem todas as provas discursivas são corrigidas. No último certame eles corrigiram o equivalente a 5 vezes o número de vagas (isto é, 5.000 discursivas), eliminando os demais candidatos com base na nota da prova objetiva.

– exame de capacidade física PRF:

é realizado pelo próprio Cespe, e consiste na realização de 4 testes. No último concurso foram convocados 4 vezes o número de vagas (isto é, os 4.000 candidatos melhor classificados nas provas escritas). Resumi esses testes na tabela abaixo.

edital prf

Exame físico do concurso PRF

Quanto aos testes físicos, vale um comentário: sugiro que desde agora você faça uma auto-avaliação do seu condicionamento físico. É preciso garantir, pelo menos, que você é capaz de executar os mínimos. De nada adianta estudar todo o extenso conteúdo das provas objetivas e discursiva e então ser eliminado na prova física.

No último edital PRF, o prazo entre a realização das provas objetivas/discursiva e o teste físico foi de aproximadamente 1 mês e meio. Caso você seja sedentário ou tenha sobrepeso, talvez tenha grande dificuldade de cumprir o mínimo de cada um dos testes físicos se preparando em apenas 45 dias, e a chance de conseguir a pontuação máxima fica bastante prejudicada. Assim, o ideal é que você já vá se preparando aos poucos. Obviamente o seu foco deve ser a preparação para as provas objetivas e discursiva, mas é possível (e até recomendável) que você inclua a realização de atividades físicas em sua rotina desde agora, intensificando esta preparação após a realização das provas escritas.

– avaliação de saúde:

nesta etapa você precisa apresentar uma série de exames laboratoriais e complementares, que estão relacionados no anexo III do edital (veja o edital clicando AQUI). Os exames são custeados por você mesmo, e devem ser entregues para avaliação da junta médica do Cespe, visando definir se você está apto ou não para assumir o cargo. No último certame, os mesmos 4.000 candidatos melhor classificados nas provas escritas participaram desta fase.

– avaliação psicológica:

trata-se de uma avaliação, também pelo Cespe, da sua capacidade de atenção, de memória, intelectual e de personalidade, visando determinar se você é apto ou não para o cargo. Cumpre dizer que para esta etapa e as anteriores é possível apresentar recursos nos dois dias seguintes ao resultado (ou gabarito, no caso das provas objetivas). Também participaram desta avaliação os mesmos 4.000 candidatos.

– investigação social e/ou funcional:

nesta etapa será realizada uma avaliação de informações que permitam avaliar a sua idoneidade. Em síntese, você deve apresentar uma série de certidões e documentos, como a de antecedentes criminais. Se quiser detalhes, veja o anexo V do edital (clique AQUI). Com base nas informações analisadas você pode ser recomendado ou não para assumir o cargo. Desta etapa também participaram os 4.000 melhor classificados nas provas escritas.

– avaliação de títulos:

os 2.000 candidatos melhor classificados nas provas escritas (e que não foram eliminados no teste físico, avaliações de saúde e psicológica e investigação social) são chamados para esta fase. Aqui o candidato pode ganhar até 7 pontos, caso possua doutorado (1,7 pontos), mestrado (1,1 pontos), pós-graduação (0,7 ponto) ou tenha exercido cargo de natureza policial (0,7 ponto por ano de trabalho, sendo no máximo 3,5 pontos).

Esta fase encerra a primeira etapa do concurso. A pontuação total é dada pela soma das notas das provas objetivas, discursiva e de títulos, e a partir disto os candidatos (não eliminados) são ordenados para serem chamados para a segunda etapa.

– curso de formação profissional:

trata-se da segunda etapa do concurso PRF, sendo composta de um curso de aproximadamente 3 meses de duração onde o candidato já recebe uma remuneração (50% do salário inicial). Participam desta etapa apenas os candidatos classificados dentro do número de vagas, ok?

Muita atenção: neste momento é preciso já ter pelo menos 18 anos de idade e apresentar documentos como o diploma de ensino superior, carteira de motorista (B ou superior), título de eleitor e comprovante da última votação (ou justificativa), CPF, etc.

Para não ser eliminado no curso de formação é preciso ter pelo menos 60% da pontuação máxima nos testes, e ter frequência integral (caso você falte algum dia, é preciso apresentar justificativa, que será avaliada pela comissão nacional do concurso público da PRF, podendo ser aceita ou não conforme o caso). Dependendo do seu resultado na segunda etapa, você ganha pontos de bonificação que são somados à sua nota da primeira etapa. Veja na tabela abaixo as bonificações que você pode ganhar, a depender do seu desempenho:

edital prf

Para você compreender melhor esta tabela, vamos imaginar que você consiga tirar 80 pontos no curso de formação. Neste caso, você tirou 10 pontos acima de 70 pontos. Segundo a primeira linha da tabela acima, você deve ganhar 10 x 0,1 = 1 ponto de bonificação, que será somado à sua nota da primeira etapa do concurso. Caso você consiga tirar 93 no curso de formação, você está 8 pontos acima de 85. Assim, conforme a segunda linha da tabela, você vai ganhar 1,5 + 8×0,2 = 1,5 + 1,6 = 3,1 pontos de bonificação para somar na nota da primeira etapa. E assim por diante.

edital prf

Vale dizer que a nota final do concurso é dada pela soma das notas das provas objetivas, discursiva, títulos e também da eventual bonificação obtida no curso de formação, conforme exemplifiquei acima. Portanto, só após a conclusão do curso é que temos a ordem de classificação final. Esta ordem determinará, dentre outras coisas, a prioridade de escolha da cidade de lotação.

MATÉRIAS DO ÚLTIMO EDITAL PRF

Veja na tabela abaixo a relação das disciplinas que foram exigidas na última prova:

edital prfDisciplinas do último concurso PRF

Note que se trata de um edital bastante extenso, composto por 12 disciplinas! E veja que a prova discursiva pode cobrar conhecimentos de qualquer uma das matérias estudadas. Portanto, estamos falando de um concurso que exige uma preparação de médio prazo e com bastante foco e objetividade. É praticamente impossível estudar todas essas matérias somente após a publicação do edital – no último concurso foram apenas 60 dias entre o edital e a prova! E caso você não trabalhe por materiais 100% focados no que o Cespe cobrou, pode acabar perdendo muito tempo, estudando vários tópicos desnecessários, e deixando de cobrir devidamente aquilo que realmente pode cair na prova. Portanto, deixo mais esta dica: decida-se por prestar ou não este concurso o quanto antes e, caso pretenda encarar este desafio, pesquise no mercado materiais desenvolvidos exclusivamente para o concurso da Polícia Rodoviária Federal!

E QUANTO GANHA UM POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL?

Antes do reajuste salarial (Lei. nº 13.371/2016) a remuneração inicial era de R$6.719, chegando ao teto de R$12.206 com a progressão de carreira. Entretanto, com o aumento salarial já em vigor, a partir de Janeiro de 2017, os PRFs estarão recebendo um salário inicial de R$ 9.043 e final de R$15.121. Em 2019, o inicial estará em R$9.899 e o final em R$16.552, veja:

edital prf

Vale dizer que, além desta remuneração, o Policial Rodoviário Federal conta com outros benefícios, como o benefício de alimentação (atualmente R$458), auxílio saúde (em torno de R$145 por pessoa – policial e seus dependentes), auxílio creche (R$321) etc. Também é possível assumir funções gratificadas e cargos em comissão, onde a remuneração adicional parte de aproximadamente R$500 e pode superar os R$5.000 nas funções mais altas.

NOTA DE CORTE DO ÚLTIMO CONCURSO

No último concurso tivemos 109.769 candidatos inscritos, o que leva a uma concorrência de aproximadamente 110 candidatos por vaga. Coloquei na tabela abaixo as notas de 5 candidatos aprovados dentro das 1.000 vagas: o 1º, o 250º, o 500º, o 750º e o 949º (último na ampla concorrência):

edital prf

Notas no último concurso PRF

Repare que o primeiro colocado fez 98 dos 120 pontos possíveis na prova objetiva, isto é, 82% aproximadamente. Mas não se engane: para fazer 82%, é preciso acertar 91% e errar 9% dos itens (supondo que ele não deixou nada em branco). Portanto, trata-se de um desempenho bastante elevado. Veja ainda que o último convocado dentro das vagas de ampla concorrência obteve 69 dos 120 pontos, o que equivale a 57,5%. Mesmo este desempenho é bem razoável. Afinal, assumindo que o candidato não deixou nenhuma questão em branco, ele precisou acertar 78,75% dos itens – aproximadamente 95 itens – e errar o restante.

Considerando a soma das provas objetivas e discursiva, repare que a “nota de corte” foi de 69 + 18,69 = 87,69 pontos, o que corresponde a um aproveitamento líquido de 62,6%.

De qualquer forma, trate os números que mostrei nestes últimos parágrafos como meras curiosidades. É inútil perder tempo tentando prever a nota de corte do próximo concurso. Observe apenas que é preciso obter uma nota significativamente superior aos mínimos exigidos pelo Cespe (36 pontos na soma da das provas objetivas e 10 na discursiva). Não desperdice o seu tempo em discussões desnecessárias em redes sociais ou fóruns tratando de assuntos como este. Preocupe-se unicamente em fazer o seu melhor, estudar o máximo possível e com as melhores técnicas, para garantir que você chegará na prova apto a obter o seu melhor desempenho! Esta é a única variável que está sob o seu controle, não desperdice energia se preocupando com aquilo que você não pode mudar.

Dicas para preparação concurso PRF

Finalizando o nosso artigo, gostaria de deixar algumas breves dicas para a sua preparação para enfrentar o próximo edital PRF:

– estude com método, aprenda a montar ciclos de estudos;

– procure cumprir o seu planejamento;

– revise o seu planejamento de tempos em tempos para fazer os ajustes necessários;

– estude por materiais de alta qualidade, focados no edital do concurso PRF;

– resolva muitos exercícios do CESPE;

– evite distrações, tenha um ambiente adequado para os seus estudos e busque o apoio dos seus familiares;

– trabalhe sempre com exercícios que possuam resolução comentada por um professor. Só assim você evita acertar “na sorte”, e aprende com os seus erros;

– prepare o seu material para realizar revisões, preferencialmente sublinhando as partes mais importantes e fazendo anotações que julgar convenientes;

– realize revisões sistemáticas, incluindo-as no seu planejamento normal de estudos;

– use as redes sociais de forma produtiva, buscando conteúdo de qualidade, e evitando perder tempo em discussões inúteis;

– tenha paciência: a jornada é dura e longa. Se a PRF é o seu objetivo, você certamente perceberá que todo o esforço valeu a pena!

 

 

Imprimir