A escolha do concurso ideal

Quando recebemos um aluno de coaching, perguntamos a ele qual o concurso que deseja fazer e as razões pelas quais optou por determinado concurso. 
Os motivos são variados, mas são levados em conta, sobretudo, o salário e a proximidade do concurso, motivos que tem peso para muitos.
Então, indagamos se o aluno alguma vez pensou menos em um concurso específico para ser feito e mais em uma área que o interesse.
Quando ele(a) nos questiona a razão pela qual pensaria em uma “área de concursos”, explicamos algumas razões que são, no mínimo, interessantes de serem levadas em conta e que gostaríamos de compartilhar.
A primeira razão é a possibilidade em se fazer mais de um concurso com reais chances de aprovação. Por exemplo, ao se preparar para o concurso de uma área como a área de segurança pública, o (a) aluno(a) pode fazer mais de um concurso porque as matérias dos certames são parecidas quanto às disciplinas e quanto aos conteúdos. Além disso, será possível notar que ocorre teste de aptidão física para concursos como o da polícia federal e da polícia rodoviária federal.
Além disso, pode pensar em fazer concursos mais amenos em termos de cobrança de conteúdo para, aos poucos, fortalecer seu conhecimento sobre as matérias (que sempre caem em concursos da área de segurança pública) e, de fato, lutar por uma vaga como policial federal no futuro. Escrevemos “de fato lutar por uma vaga” porque é gritante a diferença de domínio de matéria de um candidato que se prepara há um ano e aquele candidato que inicia sua preparação quando o edital é lançado.
Ademais, quando escolhemos a área e somos fieis a ela, há enorme probabilidade de sucesso no decorrer do tempo porque a preparação tem foco e só cresce, mediante repetição, quanto ao domínio da matéria. Quando mudamos de área, ou seja quando por exemplo o candidato deixa de fazer concursos da área administrativa (que tem várias possibilidades de cargos) e inicia uma preparação para a área de segurança pública, ele(a) terá de iniciar o estudo de algumas matérias do ponto “zero”. 
Tal expediente cansa o candidato(a) que acaba desanimando. Se o resultado não vier na primeira tentativa de concurso da nova escolha de área (o que é muito provável haja vista a mudança de foco), tudo piora. Então vem a vontade de desistir e o(a) aluno(a) se sente confuso(a) porque não sabe em que ponto erra em sua preparação.
Então fica a sugestão: reflita de forma séria sobre o que deseja na área pública e não pense apenas no concurso do “momento”. A seriedade da reflexão pode proporcionar horizontes inimagináveis que são pouco vistos como cargos na seara estadual e até municipal.
A ESCOLHA DO CONCURSO É A ESCOLHA DO FUTURO DE SUA VIDA
Mas e se o(a) candidato(a) não está firme quanto ao caminho que tomará, isto é, a indecisão está presente, o que fazer? Há matérias que sempre caem em concurso público. São elas:
  • Direito Constitucional
  • Direito Administrativo
  • Raciocínio lógico
  • Língua Portuguesa
  • Informática
É justamente para ajudar os(as) alunos(as) que estão indecisos também que temos aqui nosso livro gratuito em PDF. Você aprenderá muitas dicas e dessa forma, você não perde tempo.
Depois que foi delimitada a área e o concurso alvo, ficamos atentos aos concursos da área e quanto à data de realização dos mesmos. Quando você começar a se preparar para o concurso alvo, já terá estudado algumas matérias. Se isso faz a diferença? Muito! Você notará que já viu determinado conteúdo e ficará mais fácil dominá-lo assim.
Imprimir